domingo, 17 de dezembro de 2017

Um "Professor" Com Evidente Falta de Bases


Sou da opinião que o 1.º ciclo é o mais importante de todo o Ensino Básico, é onde se colocam os alicerces de todo o edifício da aprendizagem. Os alunos não podem continuar a chegar ao 2.º ciclo sem as bases essenciais para o cumprimento do seu programa

Culpa a todos menos a ele pelo incumprimento dos programas do 1º ciclo, pelo desrespeito das orientações do ministério da educação e por se ignorar a "importância das Expressões". 
Professô honesto, censura todos os colegas por fazerem treino para a  prova de Expressões. Ele não faz treino, claro.
Temos um governo há mais de 2 anos e a culpa pelos programas longos! do 1.º ciclo é do Crato.
Irresponsável, lança acusações às " escolas" por não cumprirem a lei, mas não aponta uma única escola em incumprimento.
Diz o rapaz:
Não tenho dados sobre o número de alunos que não usufruem do que lhes é devido, mas sei que o problema existe e infelizmente conheço casos concretos
Pois, pois, não tens dados mas conheces casos concretos...
Faltam-te as bases em "Expressões", mas sabes de cor a missa. 
A ignorância sempre foi atrevida.

Vejam a Quem Está Entregue o Barco


Qual o balanço possível após o primeiro período lectivo de implementação do projecto-piloto de autonomia e flexibilidade curricular?
- Foi criada uma equipa de coordenação nacional,
- Foi criada uma equipa técnica
- Foram criadas cinco equipas regionais
- É feito um acompanhamento por um corpo académico
- É feito um acompanhamento pela equipa de avaliação da OCDE
- As equipas esclarecem as escolas, levantam opções curriculares e monitorizam as aprendizagens (assim mesmo!)
- Estão a ser preparados dois seminários
- Está a ser preparado um encontro nacional
Ah, antes que esqueça: a equipa de avaliação externa vai realizar uma "atividade de acompanhamento presencial".

Portantos...
"O balanço é, por isso, muito positivo...", dixit o Tiago.



quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Um Secretário D' Estado Adequado Para Abrir As Portas Ao Hélder


O afastamento de João Marôco foi oficializado por um despacho do secretário de Estado da Educação, João Costa, datado de meados de Novembro. O governante diz que se limitou a concordar com a proposta que lhe foi apresentada pelo Iave

Não te distraias, João, pois acabarás a concordar com a tua própria substituição, se o Hélder ta apresentar.


Outro Coxo Com Vertigens Que Se Socorre Dos Professores, Dos Diretores e Das Associações De Professores Para Justificar a M* Que Anda a Fazer


“Desde o início foram muitos os professores, diretores e associações de professores que reportaram preocupação com o que se estava a passar no 1º ciclo”, afirmou, dando como exemplos a “excessiva preocupação com os resultados e o produto do ensino”, por oposição aos processos que conduzem à aprendizagem, aliada a uma “prescrição de conteúdos intermináveis que todos têm de aprender”.

Tem vergonha!



terça-feira, 14 de novembro de 2017

Educar é Precisamente Isto Que Dizes Aqui


Quem quer mesmo ajudar os “coitadinhos” procura que eles deixem de o ser, não com condescendência e não acreditando – na prática – nas suas capacidades, mas sim com trabalho no sentido de eles conseguirem o melhor desempenho.


E é para isto que precisamos de bons professores e que estes precisam que lhes paguemos em conformidade, percebeste ou vais continuar a bater no tavares?


Um Fervoroso e Peremptório Porta-Voz Da Situação


A mãe diz uma coisa, a escola diz outra, mas a realidade fala por si, não existe qualquer processo disciplinar à aluna.


Este maria-vai-c'oas-outras é uma autêntica caixa de ressonância do ministério da educação.
Afirma que a "mãe diz uma coisa e a escola diz outra", que não há processo disciplinar. A "Escola nega ter aberto processo disciplinar a aluna", diz, mesmo que até agora ninguém tenha ouvido a "escola" ou a "diretora" dizer que não abriu processo à aluna e, muito menos, que não informou a mãe disso.
Depois, diz o moço que "é preciso mudar a política de cedência das refeições escolares às empresas". Mas que política? Então não vimos já muitos diretores dizer que são as suas escolas que exploram as cantinas? Se a política é ceder as refeições a empresas, porque autoriza o ministério que haja escolas que confecionam as refeições? Será que, afinal, não é essa a política e o rapaz está apenas a dizer disparates que ouviu ao pequeno almoço?
Presunçoso, inchado de um paternalismo bacoco sai em defesa das "nossas" crianças que estão a ser exploradas por uns malfeitores. Batatinhaaaaaaa! As crianças não são suas, são dos pais e das mães delas, percebeu? 
Afirma que as "empresas... naturalmente querem ter lucro com a alimentação das nossas crianças. O preço por refeição não pode continuar a rondar o 1 euro, é demasiado curto. Ou seja, 1 euro é um preço é curto, mas as empresas estão a ter lucros fabulosos!
Logo a seguir num comentário a um excelente poste do Luís Braga, que contradiz tudo o que acabara de escrever, o catavento vem gabar a análise do Luís e dar-lhe sugestões de ignorante.
Arre que é demais.
E qual socrátes-com-licenciatura-tirada-em-escola-de-vão-de-escada-ao-domingo, termina com uma frase que ficará célebre: "há despesas que devem ser sempre despesas, são boas despesas".
E tudo isto num único poste. Dasss.



sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Uma Frase Que Encerra Toda Uma Ideologia e Toda Uma Política Educativa Nefastas Para o País e Para Os Jovens

Face a esta situação, a DGEEC defende: “Parece assim ser inegável que, em Portugal, o sistema educativo terá de continuar a trabalhar para que a escola pública cumpra o seu papel nivelador de oportunidades entre alunos oriundos de diferentes estratos socioeconómicos."


A escola NÃO deve nivelar as oportunidades, antes pelo contrário, a escola deve dar oportunidades adequadas a todos, de acordo com as suas diferenças.

O relatório completo pode ser visto aqui


Desfaçatez e Impunidade


No artigo décimo desse decreto ficou definido que os alunos ficam proibidos de “captar sons ou imagens” em atividades letivas e não letivas sem autorização prévia dos professores, dos diretores ou de qualquer membro da comunidade escolar cuja imagem possa ficar registada. O novo estatuto consagra ainda a proibição da difusão “na escola ou fora dela, nomeadamente, via Internet ou através de outros meios de comunicação, sons ou imagens captados nos momentos letivos e não letivos, sem autorização do diretor”.

É preciso não ter vergonha na cara para alegar que uma foto de um prato de comida ou de um qualquer objeto de uma escola é uma imagem de "uma atividade letiva" ou de uma "atividade não letiva" e que, portanto, não é permitido por lei captá-la.

É preciso ser uma jornalista maneirinha para engolir uma patranha destas e divulgá-la num jornal sem um ai.

É preciso ser uma paizinho à maneira , tipoisidoro, para querer castigar exemplarmente, talvez com chibata, os diretores sem vergonha.


Os agrupamentos de escola precisam de diretores exemplares , como Manuel Pereira, que acham que “tem de se evitar mostrar essas imagens porque é preciso evitar situações de alarme social”.

Quanto aos lagartos na comida e ao frango cru que hoje conhecemos graças aos alunos, os responsáveis pela educação acham que não devem ser denunciados. 

Escondam-se esses escândalos para evitar alarme social.

O Costa não tem de se incomodar e o Marcelo também deve achar quer está tudo bem.
Siga a marinha.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Os Inspetores Da Educação Não Querem Apresentar Certificado De Registo Criminal


Como tal, emproados na sua sapiência jurídica, mandaram o Tiago pedir não um mas dois pareceres à Procuradoria-Geral da República, no sentido de se libertarem do incómodo de terem de apresentar o certificado de registo criminal a que estão obrigados todos os trabalhadores que contactam com crianças.
Ao primeiro pedido responde a Procuradoria (Parecer 35/2016) afirmando o que era óbvio: Que sim, tinham de apresentar certificado de registo criminal, anualmente, porque também contactam com crianças e jovens.
Não satisfeitos, supinamente, para poupar 5 euros. mandaram o Tiago pedir "esclarecimentos". Hoje levaram novo recado. 
Ver Aqui

Se ainda for necessário esclarecer mais alguma coisa, voltem a pedir a um órgão do Estado, pago por todos nós, que perca tempo a emitir mais um parecer para estes emproados.

A Ler tudo Até Ao Fim


Esta tentativa de exportação do fundamentalismo comunista acabou por gerar outros fundamentalismos de sinal contrário: o nacional-socialismo e o fascismo. Todos eles são expressão da mesma revolta primitiva contra a sociedade aberta e pluralista — da qual todos eles inicialmente fizeram o seu principal inimigo. E em comum desencadearam a II Guerra, em Setembro de 1939, através da invasão combinada da Polónia pela Alemanha nazi e pela Rússia comunista.



segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Ri-te, Incompetente, Ri-te



Ó telinho quanto tempo demorarás tu a demitir o incompetente que governa o país depois de ter perdido eleições? 
Um governo que falhou em toda a linha na proteção dos cidadãos indefesos enquanto repunha regalias aos funcionários públicos.
Demissão da ministra? 
Não chega chorares uma lágrima furtiva ou abraçares-te aos degraçados que ficaram sem tudo, telo, faz aquilo que se espera de um Presidente.
Mexe-te.



Abre Os Olhos Pedro Marques. Compra Um Espelho e Fala Apenas Por Ti



A serem provadas as acusações do Ministério Público, estamos perante alguém que enganou rigorosamente toda a gente, utilizando múltiplas personalidades e, pelos vistos, artifícios inimagináveis, e fê-lo quando todas as instituições e controlos estavam a olhar.

Vigaristas


Sócrates foi recebido com aplausos, depois cânticos de “Sócrates, Sócrates”, que evoluíram, quando entrou na Sala Guimarães do hotel para “Sócrates, amigo, o povo está contigo“.


Olhem como a "Popota" Moreira abraça o vigarista que lhe deu o tacho. É tudo farinha do mesmo saco.




Não me lembro de ver tantos vigaristas juntos. Uma corja.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

O Regime


Passos representou ainda um modo diferente de fazer política. Não se intrometia nas decisões das empresas ou dos bancos, percebendo muito bem os limites do Estado e respeitando a liberdade económica. Colocou sempre os interesses do país à frente dos interesses do seu partido. Não distribuía afectos, mas dizia a verdade aos portugueses, por mais dura que fosse a realidade. Passos Coelho foi a maior ameaça ao establishment político português e este juntou-se para o derrotar. A geringonça mostra que o PCP pertence muito mais ao establishment do que julgam os portugueses e que teria muito a perder se Passos impusesse algumas das suas ideias. Também demonstra a ambição do BE de beneficiar do poder do Estado. Como alguém disse, acertadamente, o BE é cada vez mais um PS pequeno. Mas derrotar Passos Coelho não chegava. Era necessário transformá-lo num radical de direita, para a oligarquia continuar a defender perante os portugueses as ‘virtudes’ do regime.

Não Faças Dos Portugueses Trouxas


“Ninguém pode ficar tranquilo quando se tem um conjunto tão alargado de alunos que não está a aprender com qualidade”, comentou o secretário de Estado da Educação, João Costa, na apresentação dos resultados à comunicação social, acrescentando que estes dados mostram que o ministério teve razão quando antecipou a realização das provas de aferição para anos mais precoces, de modo a permitir “que as intervenções se façam atempadamente”.


Atão, os maus resultados não se devem a uma burricada do Ministério da Educação, tua João, por antecipares as provas de aferição para momentos inadequados do percurso escolar dos alunos, mas sim aos professores que não estão a ensinar com qualidade.
Arre!

domingo, 10 de setembro de 2017

O Irresponsável



Girl Chuchalista


E as minhas recomendações para o futuro? Ou se assume oficialmente que a CIG não está preparada para avaliar e decidir absolutamente nada relacionado com crianças – é chefiada por uma girl socialista sem qualquer formação para estas decisões e por um machista empedernido – ou, em alternativa, aprofunda-se o bom caminho interventivo. Li algures que se a mensagem fosse de racismo ninguém hesitaria em aplaudir a retirada dos livros. Pois bem, venho lembrar que o impenitentemente racista Tintin no Congo continua disponível nas livrarias e acessível à suscetível criançada. Ah, que tal proibir as máquinas registadoras de brincar? Segundo a CIG, qualquer criança que com elas brincar vai terminar precário num supermercado. E já se sabe que o PS quer apenas empregos tecnológicos que requerem três doutoramentos.