quinta-feira, 14 de junho de 2018

6A 4M 2D


Entre 17 de maio de 2011 e 17 de maio de 2014 Portugal esteve sujeito a um programa de assistência externa. Foram 3 anos de troika. Os portugueses tiveram de apertar o cinto por imposição externa. Essa dívida é de todos.
Por conseguinte, os três anos de troika não podem contar para progressão das carreiras dos professores nem dos restantes funcionários públicos.
Três anos é a dívida aceitável em tempo de serviço que os portugueses podem exigir aos  professores e a todos os funcionários públicos. 
6 anos, 4 meses e 2 dias é bem capaz de ser o limite onde o governo pode chegar sem perder a face. A greve às avaliações acabava em dois tempos.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Não Há Polémica Mas Sim Encenação

 
Bloco de Esquerda (BE) vai chamar o ministro da Educação ao Parlamento para prestar esclarecimentos urgentes sobre a polémica à volta da contagem do tempo de serviço prestado pelos professores durante o período de congelamento das carreiras

O guloso quer eleições a toda a pressa para chegar à maioria absoluta. Precisa que os radicais rompam o acordo e lançou a farpa mandando o moço dizer que não havia nada para ninguém.
O avozinho da extrema rosna baixinho para não acordar a vizinha espalha-brasas que apenas grita para dentro. O avozinho e a esganiçada não querem eleições, por isso piam baixinho.
Todos desempenham o seu papel, ordeiramente, sem sobressaltos.
O guloso ganha a questão porque os extremistas vão ficar a piar em seco tal o medo de perderem para a direita em eleições. 
Os professores, esses continuam a fazer o que têm feito sempre: levam no pelo e nas próximas eleições votam no partido chuchalista again.



terça-feira, 29 de maio de 2018

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Chuchalistas Apanhados Desprevenidos


Algo de sério e grave está a acontecer no país dos anestesiados pelo chuchalismo. Então, não é que o conselho das escolas deu o grito do ipiranga e soltou-se... com um parecer demolidor para o Secretário d' Estado Costa. Começando pelo princípio, o parecer...
E tem toda a razão o professor Duarte: nos apertos, o SE Costa manda os moços prá frente de ataque e desaçaima o tareco para o defender.

domingo, 13 de maio de 2018

Está à Vista De Todos



Qual é o problema mais grave das escolas? 


Não é a escassez de recursos humanos.
Nem as baixas médicas.
Nem os computadores fora de uso.
Nem a falta de internet.
Nem obras.
Nem o Centeno.
Nem a descentralização.

um problema bem maior.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Eu, Eu, Eu, Eu, Eu, Eu


Incêndios. Marcelo não se recandidata se falhar tudo outra vez

“não há comparação” entre a situação vivida pela banca há um ano e hoje. “Houve meses — eu durmo pouco, mas durmo ainda algumas horas — em que dormi um bocadinho menos bem, não porque houvesse riscos na vida dos portugueses, mas porque havia vários nós górdios que era preciso resolver. E estava difícil de resolver”. 

A Recuperação Económica Deve-se a Passos; a Austeridade Gerou Crescimento


Vital Moreira é mais demolidor ao atribuir a recuperação económica às políticas que vinham do anterior executivo: “A retoma económica já vinha de trás, desde o final de 2013, e foi essencialmente puxada pela retoma económica europeia, pelo boom turístico e pela política monetária expansionista do BCE, pelo que teria existido, mais décima menos décima, qualquer que fosse o governo”.

“Não foi o fim da austeridade que gerou o crescimento, mas sim o contrário: foi a retoma iniciada anteriormente na economia e no emprego que proporcionou as condições orçamentais para desactivar os cortes nos rendimentos e nas prestações sociais”, sublinha.

Este socialista sabe bem o que diz.

sábado, 5 de maio de 2018

Crime Organizado



«Enquanto as suspeitas eram apenas sobre Sócrates era uma coisa, o caso mudou de figura quando se soube de Manuel Pinho. As pessoas poderiam começar a perguntar-se se haveria outros a receber dinheiro», explica uma fonte socialista, defendendo que isso tornou imperativo uma demarcação clara em relação ao ex-líder do PS.

Isto parece um filme de terror. Os governantes socialistas roubam milhões de euros aos portugueses, durante anos. Primeiro ministro e ministro - e sabe-se lá quantos mais - formavam uma quadrilha que estava no poder apenas para roubar o povo.
O TGV, as autoestradas, o aeroporto, negócios com corruptos brasileiros e venezuelanos, faceoculta, freeport  e todos os grandes negócios concluídos ou projetados nos anos de ouro chuchalistas não visavam desenvolver o país, mas sim fazer circular milhões de euros dos cofres públicos para contas offshore do gang que estava no governo.
Estavam ao lado e não vira. Reuniam-se às mesas de trabalho e do restaurante e  não sabiam...
Onde está o democrata Manuel Alegre?
Por que não se ouve a sua voz?