quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Papagaio-Mor Em Campanha Permanente

 
Juan Carlos vem para Portugal? Marcelo diz que a “resposta politicamente correta” era não comentar mas... “Não sei mesmo se ele vem”

Como tem de aparecer em todos os noticiários, tratou de sugerir à comunicação social de que teria falado como o Rei Juan Carlos sobre o assunto, no último encontro que tiveram.
Depois, os amigos da comunicação social perguntam-lhe se sabe de alguma coisa sobre o assunto. Com o microfone apontado, dá mais uma liçãozinha à carneirada, com aquele ar comprometido que sempre o denuncia, dizendo que não sabe mas mesmo que soubesse não poderia dizer.
Mais uma ação de campanha.
Acho que não merecemos melhor.

quinta-feira, 30 de julho de 2020

Num País Decente, Esta Notícia Seria Suficiente Para Demitir Alguém

 

Tribunal de Contas diz que não se conhecem “reais números” do abandono escolar

Tribunal de Contas (TdC) considera que não são conhecidos “os reais números do abandono” escolar em Portugal, apesar de o país ter melhorado nas estatísticas oficiais e estar perto de cumprir a meta internacional neste domínio. Num relatório de auditoria que é publicado esta terça-feira, é questionada a fiabilidade do indicador que tem vindo a ser usado e também os mecanismos de que dispõe o Ministério da Educação para controlar a frequência da escolaridade obrigatória


Os números reais do abandono não são conhecidos e os que se conhecem não são fiáveis, diz o tribunal. Os mentirosos dizem que o país melhorou nas estatísticas oficiais!?!?
Dizem, na página 79 que o portal das matrículas é a 8.ª maravilha e que tudo se faz electronicamente!


quinta-feira, 23 de julho de 2020

Mais Uma Tolice

 
As escolas públicas equacionam adoptar um modelo de cantina que poderá passar por um regime de take-away. Nas últimas semanas, directores e empresas discutem os pormenores de higiene e segurança que deverão ser adoptados no próximo ano lectivo. Esta ideia partiu do Ministério da Educação, que, numa directiva enviada às escolas, sugeriu que as escolas ponderassem o “recurso a refeição na modalidade de take-away”.

Portanto, os alunos não almoçam no refeitório, certo? 
Pegam no tupperware, levam-nos para a sala dos alunos e almoçam lá que é mais seguro. 
- Ah, mas não faz sentido sair do refeitório para a sala dos alunos.
Muito bem, almoçam nos corredores ou no pátio. 
- Que ideia estranha, então se estão na escola porque não hão de almoçar no refeitório?
Pronto. Almoçam na paragem de autocarro ou dentro dos próprios autocarros se forem sentados.
Ou então quando chegarem a casa.
- Mas o almoço ficará frio. 
Irra! Se o almoço já estiver frio, aquecem-no no microondas. Vai-te catar.

terça-feira, 14 de julho de 2020

Em Terra De Cegos, Quem Tem AA é Rei

 
A CNAPEF já vê, contudo, a luz ao fundo do túnel e garante que levar a Educação Física para as escolas em setembro sem alterar o plano curricular não se trata de uma missão impossível. O presidente Avelino Azevedo adiantou, em entrevista ao DN, que a confederação já está a preparar “um conjunto de orientações e recomendações para as escolas”.

Não fosse a cnapef e todos os outros interesses que gravitam em torno das escolas e as escolas estavam desorientadas.
O ministro da educação é tão fraquinho que as escolas têm de recorrer aos esclarecimentos e orientações da cnapef para poderem funcionar.
Até o rapaz de serviço foi ultrapassado pela realidade. Acorda! As escolas não vão seguir as normas da DGS, mas sim as da cnapef
«Filinto Lima garante que a segurança não será posta em causa. “Pretendemos que as aulas ocorram de forma segura e adaptada à realidade de cada escola, daí eu entender por que é o Ministério da Educação não deu orientações específicas às escolas, porque funcionam em realidades diferentes e têm de se fazer valer da sua autonomia. Autonomia também é responsabilizar e é preciso responsabilizar os seus professores e os diretores no sentido de se criar condições para que o ensino seja efetuado de forma segura e seguindo as orientações da Direção-Geral da Saúde. Se disser que é preciso manter dois metros entre alunos, vamos fazer isso»

 

quarta-feira, 8 de julho de 2020

Só Pode Ser Um Ataque do Vírus Incompetenza

 

O Parlamento aprovou uma proposta que determina que os manuais escolares não sejam devolvidos pelos alunos e, já depois disso, o ministério da educação obrigou as escolas a recolher os manuais escolares e, três dois depois, dá ordens para se suspender o processo e voltar a entregá-los aos pais. 
A Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares está a pedir às escolas que procedam à "suspensão do circuito de reutilização dos manuais escolares", acrescentando que os agrupamentos que "ainda não recolheram manuais já não o devem fazer, e aqueles que já iniciaram a recolha deverão planear a sua devolução, até data anterior ao início das atividades letivas de 2020/2021".

Andam dias a mandar os pais matricular os filhos no Portal das matrículas. Os pais desesperam e passam horas, muitas vezes a altas horas, na ingente tarefa. Com técnicos funcionários públicos, a receber mal, com os servidores baratos e com chefias incompetentes,  o sistema vai abaixo e sofre ataques de gota.

Após ataques informáticos, ministério dispensa renovação de matrículas para a maioria dos alunos

O ministério está pelas ruas da amargura. Uma miséria, um desleixo e uma descoordenação absolutamente incríveis e inaceitáveis. 

 

domingo, 5 de julho de 2020

Já Agora, Telinho, Vais Mandar Investigar o Governo Ou Tens Dúvidas

 
Marcelo tinha dúvidas em assinar nacionalização. TAP já começou a dispensar trabalhadores

É que, vê bem, a TAP estava na falência em 2015 quando o Passos vendeu metade aos privados. Vieram os chuchas e "intervieram" na TAP, garantindo que a maioria do capital da empresa ficava em mãos portuguesas. Foi a chamada reversão que, no caso da TAP, custou os olhos da cara ao erário público, salvo erro 1,9 milhões.
Volvidos 5 anos, os mesmos da reversão  criticam a TAP e mandam os portugueses colocar 1,2 Mil milhões de euros na empresa.
E não há ninguém no poder que defenda o povo e mande investigar, julgar e prender os bandidos.

 

quarta-feira, 24 de junho de 2020

Serei o Único Que Fico Com a Ideia De Que Estes Pedem Mais Autonomia Quando Não Sabem o Que Dizer Nem o Que fazer?



Mas que trabalho? 
O da recuperação dos conteúdos e o apoio aos alunos que ficaram para trás? 
Mas, como pode o Ministro confiar esta decisão aos mesmos que não deram os conteúdos nem foram capazes de apoiar todos os alunos?
Autonomia para tomar as melhores decisões?  Essa é boa. Que decisões tomaram os diretores para dar todos os conteúdos e não deixar nenhum aluno para trás? Deixaram andar, não é verdade.
É bonito ver os diretores a por-se em bicos de pés para tomar decisões antes de o Ministério  tomar alguma. Ou é bluf ou, dada a qualidade do atual titular, todos acham que podem ser ministros. 
Deixar estes mini-ministros tomar decisões seria uma boa forma de acabar com muitas carpideiras e outros tantos lambe-botas.