sexta-feira, 15 de julho de 2016

Pois. Mais Pausas e Mais Férias Escolares. Para o Mesmo Vencimento, Claro.

O General muito falou sobre as pausas escolares. 
Que sim, que os alunos precisam de mais férias. Que a partir de maio as salas e o clima já não permitem que se trabalhe, enfim, os portugueses estão condenados a uma indolência semelhante àquela de que sofriam os africanos no dizer dos cientistas sociais do séc. XIX. 



O que o General não disse, nem a entrevistadora perguntou, foi o que fariam os professores e educadores no tempo em que os alunos estariam das férias, neste modelo de mais férias e mais pausas escolares.
Fiquei com a ideia de que os professores também precisavam de mais férias. Por causa do clima, claro.
Batatinha.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

terça-feira, 5 de julho de 2016

Preparem-se Portugueses. Vem Aí Mais Uma Despesa Por Causa Da Duplicação Da Oferta



O também advogado nos escritórios Morais Leitão, Galvão Telles e Associados defende por isso que "a aritmética retira qualquer margem para qualquer outra interpretação".
Mas acrescenta que não são apenas as contas que ditam a defesa da interpretação dos colégios mas também várias disposições legais associadas aos contratos. Nomeadamente o facto de o anterior governo só ter previsto a renovação dos mesmos a 31 de agosto de 2018 "porque só nesse momento surge a necessidade de contratar novo financiamento para a abertura de ciclos".
De resto, considera, "a interpretação oposta conduziria ao resultado absurdo de institucionalizar uma espécie de financiamento intermitente".

Mais Um Grupo De Trabalho Para Fazer o Trabalho Que a Máquina Da 5 De Outubro Não Faz


Nomeado grupo de trabalho para criar metas, digo, perfil de competências após 12 anos de escolaridade

Guilherme de Oliveira Martins – Fundação Calouste Gulbenkian, Teresa Calçada - ex-coordenadora da Rede de Bibliotecas Escolares, Rui Vieira Nery - Fundação Calouste Gulbenkian e FCSH da Universidade Nova de Lisboa, Carlos Sousa Gomes - Professor do Ensino Básico e Secundário (Escola Francisco Arruda), Manuela Encarnação - Professora do Ensino Básico e Secundário (Escola Almeida Garrett), Maria João Horta - Educom e Universidade Nova de Lisboa, Sónia Valente Rodrigues - Universidade do Porto, José Leon Acosta - Universidade de Lisboa e Conselho Nacional de Educação, Joana Brocardo - Instituto Politécnico de Setúbal, José Vítor Pedroso – Diretor-Geral da Educação, Luísa Ucha – Adjunta do Gabinete do Secretário de Estado da Educação. Constituem-se ainda como consultores desta equipa, para assegurar a articulação deste perfil com as melhores práticas internacionais, com a educação dos 0 aos 6 anos, com a educação especial e inclusiva e com a aprendizagem ao longo da vida, os seguintes especialistas convidados: Andreas Schleicher - OCDE: Joaquim Azevedo - Universidade Católica Portuguesa: David Rodrigues - Pró-inclusão: Alexandra Marques - Fundação Aga Khan
Ainda se queixam de o Estado contratar escritórios de advogados.


Sai um Chãzinho Frio Para o João Costa