terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Equilibrismo Sobre Fio De Nylon


Começaste pela liberdade de escolha em educação, saltaste para a Liberdade com "L" maiúsculo e divagaste sobre Justiça e Democracia. Bonita preleção. Parabéns.
Gostei desta pérola:
Portanto, a ver se entendi:
1 - a conquista de diretos humanos evolui inversamente ao alargamento das liberdades! Certo?
2 - a limitação da liberdade é necessária para preservar os direitos das maiorias perante a arbitrariedade das minorias com maior poder! No caso de serem as maiorias a terem mais poder, já não é necessário limitar-lhes a liberdade, é isso? 
 
Enfim, meu caro, não se pode acertar sempre.
 
Mas, voltando à vacafria, o que esqueceste de explicar foram umas coisitas simples, como por exemplo:
  • porque escolhes o restaurante, a padaria, o ginásio ... e não podes escolher a escola?
  • porque escolhes o médico e a clínica onde queres tratar da constipação e não podes escolher a escola onde queres educar os filhos?
  • porque entregas a declaração e IRS em qualquer repartição das finanças à tua escolha e não podes escolher a escola dos teus filhos?
  • porque escolhes em que cidade queres viver mas não podes escolher a escola para educar os teus filhos?
  • Porque escolhes a igreja onde casas, onde batizas os teus filhos .....?
Será que também queres pagar a educação dos teus filhos como pagas a portagem da Via do Infante? O Sr.  Jorge Manuel da Silva Pereira Barros defende o princípio do utilizador - pagador?
 
 
Reitor

Hum! Algo Me Diz Que Desta Vez U Rico Está Cheio De Razão



Por muito que doa a alguns intelectuais proletários e por muito que ainda me custe ver o Estado a dar de mamar aquela mole intocável de mexiagestores dos bem públicos e de autarcas defensores do povo.



Reitor

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Hum! Este Já Tem Padrinho à Espera!




E não deve ser o GPS que fica mais perto de cá do que de lá..
Apostava mais num Ribadouro ou num CLIP.


Reitor

No Final De Contas, Os Mais Ajuizados



 
Até porque para sair do papel o Estado tinha de dar uma volta de 180º. Não seriam necessários 3 secretários de estado, nem pr'aí uns 10 diretores gerais, nem metade dos funcionários que pululam nos serviços centralizados do MEC. Nem metade dos atuais professores do Estado.

Uma revolução.

Reitor

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Uma Leiloeira Com Olho Para Governar




A leiloeira foi mais inteligente que o Governo Português, o que não admira. Pagamos nós a m* que o barrete fez. Não, não em querer vender os quadros, mas em atamancar todo o processo de decisão e de saída das obras de Portugal.
Que se devem vender, não tenho qualquer dúvida. Aliás, nunca deveriam ter sido comprados (com os nossos impostos, obviamente).
Vendam-se rapidamente mas respeitando a lei.


Reitor